“… a inclusão escolar no Brasil é uma saga que reflete as mazelas de uma sociedade que rejeita a sua própria natureza híbrida, nascida na miscigenação de raças e culturas, opaca até mesmo na cultura acadêmico-científica, na qual nosso aluno não passa de uma alegoria exótica apreciada por olhos de uma certa ciência internacional … “Saberes do Sul”? Talvez… prefiro saberes do Brasil, é isso que busco.”


Perfil Acadêmico
Grupo de Pesquisa
Laboratório de Linguagens e AAH
Atividades de Ensino
Biblioteca Eletrônica

Agenda

Verifique os horários de aulas remotas ao vivo na página de Disciplinas em Andamento. Acesse a área de EAD.

Fevereiro, 2: “Avaliação como marco de um projeto curricular“, palestra de formação continuada (CBNB, Rio de Janeiro/RJ – 13:00) – PodCast disp. no canal do portal.

Fevereiro, 3: “Formação de professores na perspectiva inclusiva” – Aula inaugural do Curso de Especialização em Educação Especial e Inovação Tecnológica (UFRRJ) – Rio de Janeiro/RJ – 18h.

Luiz Antonio Gomes Senna

“A diversidade cultural que é traço inerente à sociedade brasileira e à língua nacional não figura nem na estrutura, tampouco na cultura, que regem o português escrito. Havemos de concluir, então, que, para grande parte do povo brasileiro, o aprendizado e o uso da escrita alfabética são espaços de bilinguismo cultural. E havemos de postular, também, que a recorrente interferência de traços da oralidade sobre a forma da escrita produzida por alunos da educação básica no Brasil esteja relacionada à tradição de um povo que se institui em movimento de resistência cultural e de clamor por subjetivação.”

SENNA, L.A.G. (2021)
In: Bilinguismo cultural – Estudos sobre culturas em contato na educação brasileira..